Histórias que se entrelaçam

Brasília celebra 61 anos e Abrace se prepara para comemorar 35 anos de atuação
Publicado dia 26/04/2021 às 23h20min

No último dia 21 a capital do Brasil, berço onde a Abrace teve seu início, completou 61 anos. Uma história que se interliga com a trajetória da instituição que completará em maio 35 anos de apoio a crianças e adolescentes com câncer e hemopatias. Ambas, Brasília e Abrace, abarcam uma diversidade de lutas, conquistas, vitórias e muita esperança.

A Abrace teve início em maio de 1986 com a reunião de pais que acompanhavam seus filhos em tratamento de câncer no Hospital de Base e decidiram compartilhar solidariedade e força com outras famílias que estavam na mesma batalha. A iniciativa foi só o início de um caminho de grandes conquistas. Atualmente a instituição conta com uma sede onde crianças e jovens de outros estados se hospedam, enquanto realizam tratamento na cidade. Além disso, a Abrace foi responsável pela construção, com apoio da comunidade e empresas parceiras, do primeiro bloco do Hospital da Criança de Brasília José Alencar, incorporado posteriormente à Rede Pública de Saúde, tendo se tornado referência nacional no atendimento infanto-juvenil.

Atualmente a Abrace assiste mais de 800 crianças e adolescentes, e suas famílias. A presidente da instituição, Maria Angela Marini destaca esse caminho. “Celebrar 35 anos da Abrace me traz grande satisfação e alegria! Ser parte de um Projeto exitoso, que foi criado em um momento de dor para nós, pais fundadores da Abrace, e outros pais que chegaram ao longo dessa jornada, só foi possível graças a união do grupo, a força do amor e a coragem no enfrentamento da doença, além do abraço fraterno no apoio que recebemos da equipe médica, amigos, familiares e a sociedade civil brasiliense”, relembra.

Maria Angela Marini relembra ainda um momento marcante para Brasília e também para a Abrace: a construção do primeiro bloco do Hospital da Criança, inaugurado em novembro de 2011. “Esse era um sonho acalentado por todos nós, pais de ex-pacientes. A Abrace sonhou junto, buscou condições legais em construí-lo, captou recursos junto a sociedade civil, pessoas físicas e jurídicas, empresas parceiras e instituições para ao final da obra, doá-lo ao Governo do Distrito Federal – SESDF, oferecendo instalações adequadas às crianças e adolescentes em um hospital feito exclusivamente para o atendimento do público infanto-juvenil, com atendimento gratuito e para todos”, explica.

Capital da solidariedade

Já Brasília, cenário de tantos passos, também nasceu a partir da dedicação e empenho de tantos trabalhadores que sob o governo de Juscelino Kubitschek construíram em tempo recorde uma cidade com estrutura e paisagismo moderno. Abrace e Brasília crescem e abarcam quem aqui vive, trabalha, (e) vem em busca de oportunidades. A presidente da instituição lembra que quando Brasília celebrava 26 anos, a Abrace nascia. Nesse ano os pais fundadores frequentavam quase diariamente o Hospital de Base acompanhando seus filhos em tratamento e enxergando a dura realidade de quem lutava contra o câncer e vivia em vulnerabilidade social e econômica.

“Acredito que o permanente movimento de construção desta linda cidade inspirou a todos os que fizeram parte da construção da Abrace até a presente data, juntamente com o sentimento de solidariedade e fraternidade, motivados em ajudar aos que precisam de apoio”, acrescenta Maria Angela Marini.

A Abrace impactou o conceito de assistência ao câncer infanto-juvenil em Brasília. E segundo personagens importantes dessa trajetória, como a atual presidente da instituição e a médica Dra. Isis Maria Quezado Magalhães, que dirige a equipe onco-hematológica pediátrica do HCB, Brasília e Abrace caminham entrelaçadas. Afinal, a construção do hospital e o intenso trabalho de assistência humanizada que a instituição realiza, teve impacto na elevação do índice de cura e na redução do índice de abandono do tratamento em Brasília, ampliando o acesso ao tratamento eficaz e apoiado em atenção integral, apoio social, psicológico e material com suporte do trabalho voluntário.

Maria Angela Marini ainda salienta que cada etapa vencida pela Abrace, que constrói essa estrada, é fruto do esforço empenhado. “Todos os 35 anos da Abrace, desde a sua fundação até o momento atual, caminhamos unidos e concisos em uma única estrada, na busca por melhores condições de tratamento, o alcance da qualidade, para que sejam beneficiados os pequenos pacientes com câncer e hemopatias”, complementa a presidente.

Conheça mais sobre a nossa história e saiba as diversas formas de ajudar através dos telefones 3212-6000 ou whatsapp (61) 99321-7229.

Texto: Mariana Camargo

Foto: Acervo Abrace

Acompanhe a Abrace.

Não perca nossos eventos, materiais educativos e informações sobre a luta contra o câncer infantojuvenil. Inscreva-se para receber por e-mail.