Tiaras de amor: transformando os desafios em empreendedorismo

Mãe da assistida Sophia, Isleila transformou o momento desafiador do tratamento de sua pequena em oportunidade de empreender e levar esperança para outras crianças
Publicado dia 11/06/2021 às 18h25min

Passar pelo tratamento de câncer não é algo fácil, sobretudo quando o paciente é uma criança. Trata-se de um momento de desafios e muita dedicação, inclusive dos familiares para lidar com constantes idas ao hospital, novas demandas, necessidades e receios. Mas Isleila Vieira, mãe da Sophia Camila Magalhães, de cinco anos, não esmoreceu frente a esse cenário. Ambas passaram por momentos complicados, transformando-os em um projeto solidário que hoje leva alegria a mais crianças que também estão lutando contra a doença, o “Tiaras de Amor”.

Sophia recebeu um transplante de fígado em 2016, aos nove meses de vida, realizado no Hospital Sírio Libanês a partir da doação de sua tia Milane. Três anos depois, infelizmente a pequena guerreira foi diagnosticada com um linfoma na região da barriga, segundo a mãe, causado pelo imunossupressor que ela tomava para proteger o novo fígado. 

A partir desse contato, elas se tornaram assistidas da Abrace, realizando o tratamento no Hospital da Criança de Brasília José Alencar com apoio da instituição, que completou recentemente 35 anos de atuação, conforme destaca a presidente Maria Angela Marini. “A causa social que nos move exige toda dedicação e responsabilidade pois estamos cuidando de pessoas indefesas - as crianças e jovens em tratamento de câncer e doenças complexas do sangue. Essa é a missão e o foco do trabalho da Abrace. A obra teve início há 35 anos, mas nessa jornada de muitas vitórias, ainda há muito a fazer para que seja completa”, afirma.

Superação

A ideia do projeto Tiaras de Amor surgiu durante o tratamento no HCB. Sophia ganhou uma tiara na cor crua da assistente social da Abrace, Rosana e segundo sua mãe, encantou-se. “A primeira coisa que ela falou foi ‘mãe é da Frozen’, e enquanto carequinha usou muito esta tiara. Vi o quanto ela ficava feliz e leve. Então decidi criar o projeto e levar este amor para as crianças e adolescentes em tratamento oncológico”, explica Isleila.

As tiaras são desenvolvidas em lã para crianças que perderam os seus cabelos e a cada duas tiaras vendidas, uma terceira é doada para o HCB e para a Abrace. A mãe de Sophia explica que criou e segue no projeto de maneira independente, sempre buscando a expansão e fortalecimento do novo negócio. “O aprendizado continua. Sophia ama as tiaras e a cada montante que produzo ela quer escolher duas para ela. Me sinto grata a Deus por me conduzir na criação deste projeto, com o intuito de levar solidariedade, amor, leveza, paz, inspiração e superação não só para as crianças e adolescentes em tratamento contra o câncer, como também para toda a família, pois o diagnóstico é muito difícil”, acrescenta.

A presidente da instituição destaca que durante o tratamento, as crianças e adolescentes dependem da companhia de seus pais e familiares, e muitas vezes são esses provedores que ficam desempregados ou precisam encerrar seus trabalhos autônomos para se dedicar ao tratamento dos filhos. Por isso, um olhar atento para as necessidades dessas famílias, faz toda a diferença na qualidade de vida durante a luta contra o câncer. 

“O papel da Abrace é promover o bem-estar e segurança do pequeno paciente, assegurando aos seus cuidadores a assistência necessária, seja no tratamento do filho ou em suas necessidades básicas. A Abrace nasceu com o objetivo de transformar a dor em amor e consequentemente, mudar o conceito de assistência ao câncer infantojuvenil em Brasília. O próprio nome – Abrace – é o reflexo de gestos e atitudes; são abraços individuais e coletivos”, cita Maria Angela Marini, relembrando trechos do livro “Anjos”, que conta em detalhes a trajetória da Instituição.

Atualmente Sophia está em manutenção da doença, concluiu o tratamento e segue apenas com acompanhamento em consultas periódicas. Isleila lembra do caminho percorrido, no qual conseguiu permanecer firme e empreender, demonstrando muita força e fazendo planos para que seu negócio alcance novos vôos. “Meu intuito é levar este projeto lindo para outros hospitais e instituições para todo o nosso Brasil e também para o exterior. Levar este amor para todas as crianças e adolescentes que tratam o câncer. O câncer tem cura! O amor é a melhor medicação que temos na vida! Doe sangue, doe órgãos, doe vida, doe medula, doe plaquetas, doe amor”, completa ela.

O projeto Tiaras de amor conta ainda com voluntários da própria família de Sophia, como Anna Beatriz, Milane Vieira, avós e avôs, além de parceiros e amigos que viabilizam a exposição de venda das tiaras em feiras e eventos diversos como Colabora Mix Eventos e Empoderarte-Grupo de Mulheres Artesãs de Sobradinho. Conheça mais sobre o projeto, criado e produzido pela Isleila, mãe da assistida Sophia e saiba como adquirir a sua no Instagram @tiara_sdeamor

Fotografia: Acervo pessoal/ Marcos Silva

Texto: Mariana Camargo


Acompanhe a Abrace.

Não perca nossos eventos, materiais educativos e informações sobre a luta contra o câncer infantojuvenil. Inscreva-se para receber por e-mail.